quarta-feira, 4 de abril de 2012

Grãos germinados - Alimentos vivos


Os grãos germinados são considerados alimentos bioactivos (activam a vida) e constituem praticamente os únicos alimentos que chegam aos nossos pratos com o seu potencial vital totalmente inalterado e, mesmo aumentado exponencialmente. Um grão, depois de germinado pode ver multiplicado o seu teor de minerais ou vitaminas em cerca de 20 vezes, o que possibilita a realização de uma alimentação muito mais rica e completa. De salientar também que os grãos germinados constituem fontes vegetais de vitaminas, o que assume uma importância crucial se pensarmos nos regimes alimentares VEGetariANOS.
Os grãos germinados possuem propriedades importantíssimas como facilitar as reacções metabólicas e a regeneração celular, bem como a estimulação e aumento das defesas imunitárias do organismo humano.

A escolha dos grãos a germinar:

Para escolher os grãos que se pretende germinar, é importante saber que:

Devem ser frescos
Devem ser integrais
Não devem ser descascados ou descorticados

São múltiplos os grãos passíveis de germinar, dos quais se destacam os cereais, as leguminosas, alguns legumes e mucilagens.

  • Cereais
Germinar sementes de Cereais

Aveia – é um cereal energético por excelência que, após a germinação, vê os seus teores de Vitamina B3 e B9 multiplicados por 6 e Vitamina B2 multiplicado por 10.

Trigo e Espelta – o espelta é uma variedade ancestral do trigo, mas possui um sabor mais acentuado. Assim, todas as indicações do trigo são válidas para o espelta. Estes cereais têm um poder reconstituinte e protector do organismo. Após a germinação, os teores de aminoácidos destes grãos são multiplicados por 2,5, em especial a lisina; a Vitamina C é multiplicada por 6, a Vitamina E por 3 e o Caroteno por 4.

Milho e Cevada - são cereais com propriedades refrescantes, em especial a cevada que, com a germinação produz o malte. Adicionar cevada germinada a outros cereais facilita a digestão dos amidos.

Millet – oriundo dos países pobres, o millet é um cereal equilibrado, particularmente rico em magnésio, ferro, fósforo e manganés. É aconselhada a sua utilização em jovens em crescimento.

Arroz – é muito difícil a sua germinação se o germe tiver sido agredido pelos processos de descorticação. Especialmente aconselhado para problemas digestivos e em pessoas intolerantes ao glúten.

Sarraceno – cultivado em solos pobres, é o cereal mais rico em magnésio cujo teor se multiplica muitas vezes com a germinação. Aconselhado em casos de distúrbios cardiovasculares, pois reforça a permeabilidade capilar.

Centeio – cereal energético, que reforça a fluidez sanguínea. Também rico em magnésio, fósforo e potássio.

  • Leguminosas
Germinar leguminosas

Alfalfa – é um grão de utilização recente e constitui o grão germinado mais completo. Rico em aminoácidos, fósforo, cálcio, potássio, magnésio, ferro, enxofre, vit. A, B1, B2, B6, C, D, E, K.

Fenogrego – cultivado desde o tempo dos faraós, este grão era usado na idade média para tratar febres, problemas hepáticos e renais. Tem um sabor ligeiramente apimentado mas muito agradável. É um grão com propriedades tónicas, fortificantes e reconstituintes. É especialmente rico em fósforo, ferro, enxofre e vitamina A.

Feijão – mesmo germinado, o feijão não se come cru. No entanto é aconselhável a sua germinação antes de cozinhar, de forma a eliminar os problemas digestivos tais como flatulência ou enfartamento. A germinação aumenta os teores de caroteno e aminoácidos.

Lentilhas – ao contrário do feijão, as lentilhas não provocam perturbações digestivas. É um grão nutritivo, rico em ferro, cálcio e vit. B e C. Com a germinação, constitui uma fonte importante de Vit. B(x5), aminoácidos e caroteno.

Grão de bico – grão bastante nutritivo, rico em proteínas e vit. B, cujo teor se vê multiplicado por 5, após 4 ou 5 dias de germinação. Utilizado para confeccionar o famoso hummus.

Feijão mongo ou mungo – originário das Índias e também chamado soja verde, este feijão é bastante mais pequeno que os outros e da sua germinação resultam os famosos “rebentos de soja”. É um grão muito rico que possui quantidades importantes de proteinas, lípidos e glúcidos, para além de Vit. A, B, C e E.

  • Oleaginosas
Germinar Oleaginosas

Sementes de girassol - Este grão contém cerca de 25% do seu valor nutritivo total em aminoácidos, contendo também teores importantes de ferro, cálcio, fósforo, sódio, potássio, vit. B e precursores das vit. A e E.

Sementes de Linho ou Linhaça - Explorado inicialmente pela indústria têxtil, têm vindo a ser posteriormente descobertas as suas propriedades nutritivas. Possui importantes propriedades diuréticas, emolientes e laxativas.

  • Sementes de Legumes
Para germinar podem usar-se sementes de vários legumes, por exemplo:
Nabo, alfafalfa, ruibarbo,

  • A germinação de sementes faz-se seguindo alguns passos simples:
A prática da germinação de sementes
O germinador

O germinador é um recipiente que assegura as condições de permanência e a escorrência eficaz dos grãos durante a germinação. Existem germinadores de vários tipos, feitos de materiais diferentes. Antigamente os germinadores mais vulgares eram feitos de barro. Hoje em dia vulgarizou-se o seu fabrico em plástico com características especiais que assegura as condições essenciais à germinação. Alguns destes germinadores apresentam ainda a possibilidade de germinar vários tipos de grãos ao mesmo tempo.

  • O processo de germinação é fácil:
Muitos de nós já germinaram grãos, porque este processo fazia parte do programa das aulas de biologia do liceu. O processo é fácil, requerendo apenas grãos de boa qualidade, um germinador e algum tempo. Para uma boa germinação, basta seguir os seguintes passos:



1. Colocar uma quantidade de grãos num recipiente não furado (taça, prato fundo) e colocar água, preferencialmente de fonte ou mineral.



2. Deixar demolhar durante uma noite






3. Na manhã seguinte escorrer a água dos grãos






4. Enxaguá-los com água corrente e escorrê-los.






5. Colocá-los no germinador e colocar num local à sombra ou num armário com luz, arejado e não muito frio, que utilize frequentemente (para não esquecer o germinador). Duas vezes por dia deve passar os grãos por água corrente e deixá-los escorrer no germinador. Voltar depois a colocar no local de germinação.

6. Ao fim de 3-4 dias os germes serão já bem visíveis. Neste momento já podem ser utilizados, mas se esperar 6 ou 7 dias tornar-se-ão rebentos bastante maiores e mais enriquecidos.


  • O resultado da germinação de sementes
Os resultados da germinação de grãos
Grãos suculentos, apetitosos, nutritivos e vivos, com elevados teores de vitaminas e minerais, capazes de suprir eventuais défices alimentares e tornar a alimentação num auxílio importante para a saúde e o bem-estar.


O Uso culinário:

Os grãos germinados e rebentos devem ser ingeridos preferencialmente crus em saladas ou pastas, de modo a manter o seu poder nutritivo no expoente máximo. No entanto, também podem ser utilizados em cozinhados como os guisados ou frituras rápidas de vegetais. Constituem a excepção à regra do cru, os feijões germinados e o grão-de-bico, que apenas devem ser consumidos sob a forma de pratos cozinhados, tais como patês (feitos com feijão ou grão cozido), guisados, cozidos, frituras e sopas.

Fonte vivasaudavel

1 comentário:

Gabriela Ribeiro disse...

Boa noite, os grãos de feijão, neste caso feijão manteiga, devem ser expostos à luz do dia? Devem apanhar sol? Ou pelo contrário, devem estar na escuridão durante o processo de germinação. Como cozinhá-los depois?
Saudações cordiais